Hoje completo 5 anos de bariátrica e continuo em busca de uma vida saudável

14724507_1167463893299634_7964440427996952150_n

Hoje estou com 42 anos e completando 5 anos de cirurgia bariátrica, a minha luta contra a obesidade e ter uma vida mais saudável ainda continua, estou na fase que a maioria das pessoas que fazem redução de estômago engordam, e eu por vários motivos adquiri em um ano 15 kg, então vou os dizer o que aconteceu para isso ter ocorrido.

Há uns dezoito meses estou na luta contra uma anemia crônica que me aterroriza há quatro anos, já fiz muitos tratamentos, atualmente estou fazendo um tratamento mais específico, pois com o acompanhamento da minha endocrinologista ( tenho hipotireoidismo há vinte anos), o clínico geral e o gastroenterologista descobrimos  que esta anemia está associada ao hipotireoidismo e a uma bactéria que está no meu estômago, a bactéria H. pylori. 

A redução de estômago me trouxe muitos benefícios físicos, sai do manequim 54 para usar manequim 46, essa foi a minha maior vitória, deixar de ter obesidade mórbida para está acima do peso, nasci gorda e passei a vida a sombra do peso, passei por momentos difíceis na saúde devido a obesidade, sofri preconceitos no colégio, na faculdade, no trabalho, na rua, enfim passei por muitas coisas complicadas por ser fora do padrão social.

Hoje travo outras lutas além da física, estou com depressão e síndrome do pânico, há quase quatro meses tive a primeira crise de síndrome do pânico, foi terrível, pensei que iria morrer, nunca imaginei que essa doença iria me desgastar tanto fisicamente e emocionalmente, os médicos que estão me acompanhando ainda não sabem salientar o que causou a síndrome, eu só sei que sofro de ansiedade desde a infância, tenho uma vida muito estressante, a questão do hipotireoidismo pode causar depressão e a síndrome e para completar é uma das mais devastadoras e incompreendidas doenças psiquiátricas.

A síndrome do pânico é devastadora porque a pessoa que sofre os temidos surtos vive à sombra do medo e do desespero, é incompreendida por quem observa de fora, pois não levam a sério os sintomas, tomando-os como fraqueza de origem moral, julgam que temos controle dos sintomas e da situação.

Quem sofre da síndrome acumula prejuízos financeiros, emocionais e social. Pode desenvolver agorafobia que faz com que muitas pessoas abandonem o emprego e a vida social. Os amigos se afastam pouco a pouco porque o comportamento de quem sofre ataques de pânico torna-se arredio, irritadiço e por muitas vezes desagradável. Os familiares geralmente não suportam por tempo demasiado mudanças bruscas de rotina graças aos medos daquele que sofre a síndrome.

Não tem sido fácil o dia a dia, principalmente a oscilação de humor e a falta de compreensão daqueles que convivem comigo, estou destruída com tudo, com  a doença, com os afastamento de todos, comigo, é tudo muito complicado, difícil de lidar, principalmente no meu caso que sou arrimo de família, professora particular autônoma, tenho mil e umas responsabilidades, me sinto a cada dia perdida, sem rumo, fraca…luto comigo, luto contra a síndrome do pânico, luto contra a depressão, luto contra o abandono, luto a casa dia em busca de uma vida saudável.

E nessa luta sigo em frente!

Tatiana Sampaio

14925656_1247324055289409_60808731923673826_n

 

Anúncios

São três anos de luta

 

São cinco anos de luta contra a obesidade.
Primeiro passo foi reconhecer que a obesidade é uma doença séria e com ela vem as comodidades( doenças atreladas ao excesso de peso, diabetes, hipertensão, AVC, dores musculares, nas articulações, entre outras.).
Segundo passo foi sair do sedentarismo, voltei a caminhar e fiz reeducação alimentar.
Meu terceiro passo decidir fazer redução de estômago, eu estava pré diabética, tenho hipotireoidismo, na qual deixa meu metabolismo muito lento e emagrecer é bem complicado…
Atualmente ando descuidada devido aos problemas familiares, mas logo voltarei as atividades físicas, pois meu corpo está me exigindo e minha mente implorando.
Contudo agradeço a Deus todos os dias pelas minhas vitórias.
Tatiana Sampaio

Em um ano…

tans

Em um ano…poxa! Muitas coisas mudaram na minha vida! Principalmente a forma que eu encaro a vida atualmente, tenho mais consciência do que como, sempre busco ter uma alimentação saudável, mas confesso que as vezes saio da linha, como doces, bolos, frituras e tomo umas cervejinhas… mas logo vem a consciência me julgando, acusando, “tu não deves Tatiana”, “tu queres voltar a pesar os três dígitos?”, ” vais voltar a obesidade mórbida grau III menina!”, aí corro para as minhas fotos, antigas e atuais, vou a balança e fico aliviada de não ter ganho gramas. Nunca fui de comer muito, nasci obesa, fui uma criança obesa, mas eu nunca tinha cuidado em comer nos horários certos, comer de 3 em 3 horas, nem pensar! Dá preferência a frutas, pior ainda, eu sempre optava para os refrigerantes, bolos, doces, biscoitos e salgados,trocava qualquer refeição por estas deliciosas iguarias.

tatianasss

Hoje a realidade é outra, procuro sempre sair com o meu lanche, que geralmente são frutas e iogurtes light. E esta semana decidi fazer uma marmita em casa com o meu almoço, antes eu comia sempre em restaurantes e estas comidas estavam me fazendo muito mal, por isso decidi só comer do que sei bem a procedência, pois o meu novo estômago e intestino merecem ser bem tratados.

 

tatianasampaio.jpgrt

Sei que a minha luta será para a vida toda, ainda não alcancei minha meta, em parte culpo a mim mesma por ser um pouco indisciplinada, vivo “correndo”, só penso no meu trabalho, lecionar é tudo para mim, e ser professora particular exige muita dedicação e tempo, ter uma vida saudável também, passei o mês de junho de férias e refleti bastante sobre este último ano da minha vida, emagreci 42 kg, aprendi a dar mais qualidade a minha vida, comecei a fazer uma atividade física, aprendi a desacelerar, eu era muito agitada, só pensava em trabalho, em cuidar da organização da minha casa, hoje penso mais no meu bem estar, físico e emocional, aprendi me ouvir e me pôr limites.

Mas também sei bem que tenho hipotiroidismo, e a falta hormonal me prejudica muito, o meu metabolismo é super lento, e por sua vez o meu emagrecimento não é como de muitas pessoas que fizeram bariátrica, contudo estou na luta rumo a minha meta pessoal que é chegar aos 70 kg, falta só dez…estou correndo atrás…

 

taty

 

Emagrecer está sendo um aprendizado!

Tatiana Sampaio

Tatiana

A cada dia supero as minhas superações

taty
Um dia pesei 135 kg, em 2011 eu estava com 127 kg, no início de 2013 eu pesava 118 kg depois de muita disciplina e uma maravilhosa reeducação alimentar . No dia 25 de junho de 2013 fiz uma redução de estômago…e hoje vocês já sabem o resultado…estou com 80 kg ( há duas semanas que não me peso, creio que já eliminei uns quilos).
10172762_719056101449543_1771146126_n (1)
Muita felicidade…deixar ter obesidade mórbida grau III e estar a caminho do peso ideal…#nãotempreço!
Gente eu já eliminei quase 40 kg!
Estou a cada dia mais empolgada!
Adoro…meu esposo quando estava tirando essas fotos, comentou que este era o meu sonho, um dia tirar fotos assim…verdade amore! Renato Araujo obrigada amore pelo seu apoio, mainha  e painho sem vocês eu não conseguiria, me cuidaram depois da cirurgia em todos os aspectos, Dr Frank Obesidade um dia sonhei…tu realizastes o meu sonho, fazendo a minha redução de estômago pelo método bypass, obrigada amore por seres mega competente e humano, Dra. Dora, minha anestesista também és responsável pela minha conquista, Dra Vera minha nutricionista e tantos outros…OBRIGADA meus amores, OBRIGADA SENHOR que até aqui estares no comando da minha vida!
10176187_719056218116198_1801800316_n
Eu usava 52…
Hoje uso 44 e caindo…
Adoro!!!
10153026_719055898116230_1381974578_n
São nove meses de vida saudável a luta é diária, tenho que ter cuidado com a minha alimentação, observar as calorias de tudo, fazer atividade física e acima de tudo cuidar do meu bem estar emocional, a cirurgia bariátrica não é milagre, é uma parte do processo da perda de peso, não é fácil o pós-cirúrgico, a adaptação é lenta e gradual, mas cada segundo desta luta vale a pena, um dia eu estava com obesidade mórbida grau III, hoje estou rumo ao peso ideal,.
Poxa! Nasci gorda, sempre fui gorda, confesso ainda me vejo gorda, não quero ficar magérrima, mas preciso eliminar uns 15 kg para estar com o IMC adequado, não sou mais uma menina tenho 38 anos e me preocupo muito com a minha saúde, a minha imunidade sempre me deixa na mão, devido ao hipotiroidismo, por isso meu cuidado com a saúde tem que ser redobrado.
Tatiana Sampaio

 

Uma história de dupla superação

1098361_522496351154889_230220450_n

Meus amores tenho um grupo de amigos que fizeram e que ainda irão fazer a redução de estômago no Facebook, nesta semana me deparei com um depoimento super estimulante que fala de um casal que superou a obesidade juntos, adoro histórias assim, por isso falei logo com a moça e a pedi licença para postar o seu depoimento, Vilneide Paiva adorei…

1535444_635215939882929_173526991_n

Esta é a história deste casal lindo:

“Venho através desse post dividir a minha felicidade compartilhada com o Pedro Henrique que é esse moço da foto (meu noivo). Decidimos em Outubro de 2012 dar um basta na obesidade, visitamos o consultório do Dr. Fernando Siqueira , passamos por toda bateria de exames que muitos aqui do grupo já conhecem (endoscopia, raios-X de tórax, ultrassom abdominal total, hemograma completo, laudo de pneumologista, laudo de endocrinologista, laudo de psicólogo, laudo de nutricionista, laudo de cardiologista e por última visita ao anestesista) e no dia 18 de Dezembro de 2012 passei pela cirurgia que mudou minha vida positivamente, é claro! O Pedro Henrique operou 2 meses depois pois eu tinha que ficar linda primeiro, rs! Bem estávamos no grau de obesidade mórbida eu com 1,59 e 106 kg e ele com 1,82 e 177 kg. O método utilizado foi o Bypass e até hoje fazemos acompanhamento com a nutricionista, visitas periódicas ao cirurgião (primeiras semanas, mensais até completar 6 meses e após a cada 6 meses) e terapia não por estudar Psicologia mas é de extrema importância o profissional de Psicologia pois na minha opinião não há nenhuma limitação física o que pesa mesmo é o psicológico. O primeiro mês é um terror (dieta líquida) me arrependi de ter operado, chorei enfim, mas quando os resultados começam a aparecer e passamos da dieta líquida para a pastosa esse sentimento vai embora rapidinho. Hoje comemoro 50 kg Off e IMC normal, já o PH emagreceu 79 kg está com 98 kg e está pertinho de atingir a meta pessoal de 95kg. Amigos comemos de tudo (panelada, buchada, feijoada, pizza, etc), na semana procuramos fazer escolhas saudáveis, mas comemos de tudo mesmo e bebemos também rsrs… com muita cautela. Agora queremos fazer algumas reparadoras por questões estéticas nada muito exorbitantes, mas quando chegamos ao objetivo a vaidade vai crescendo. A mensagem que queremos passar é que não desistam porque sempre com paciência dá certo e não é nada da noite para o dia. Ah e a felicidade que quero dividir que comentei no início… VAMOS NOS CASAR! Quaisquer dúvidas estou a disposição…”

fa

 

São histórias assim que me estimula a continuar a minha caminhada, um dia eu fui uma obesa mórbida grau III, hoje estou rumo ao peso ideal, como este casal, somos a superação em pessoa, somos idealizadores, somos conquistadores, determinados, batalhadores, nossa luta será diária, temos que manter a vida saudável diariamente, temos responsabilidade conosco e com aqueles que nos acompanham.

Vamos lá Vilneide Paiva, Pedro Martins e outros amigos que estão conosco nesta luta adiante, com a cabeça erguida e o olhar direcionado em nossas metas pessoais…Parabéns Vilneide e Pedro, virei fã de vcs!!!

Tatiana Sampaio

Felicidade mil…

tana

Este primeiro dia foi o dia 25/06/13, o dia da minha redução de estômago, nunca pensei que as mudanças seriam além do físico, mudei muito…cresci…amadureci e principalmente aprendi que sempre poderei alcançar os meus ideais!

Taty

Estou agora com sete meses de bariátrica, sei que ainda não estou perto da minha meta, ainda falta 20 kg ainda, talvez eu não fique o o peso ideal para o meu IMC, mas desde o início a minha meta era ficar com no mínimo 75 kg, nunca gostei da ideia de ser magra ou magérrima, o que sempre pensei em ter uma vida mais saudável e leve, ter mais mobilidade, agilidade e mais disposição.

Tenho hipotiroidismo há oito anos, e devido a doença o meu metabolismo é muito lento, por isso procuro manter a disciplina alimentar, procurando sempre comer em 3 e 3 horas, e diariamente fazendo a minha caminhada, que adoro!

Ainda tenho uma caminhada longa, mas a cada dia estou mais motivada e feliz com tudo que está me acontecendo!

tanasampa

A vitória contra a obesidade é certa!

E a luta continua…

Tatiana Sampaio

O sonho tornou-se realidade!

Tatiana mundodamulher

A vida, sem uma meta, é completamente vazia.
Sêneca

Tatianasampa

Caramba!!! Há dez anos pensei em fazer uma redução de estômago, e olha que não estava tão obesa, ainda pesava 100 kg, mas não suportava mais ser gorda, não por uma questão estética, mas pela saúde, não suportava mais as dores de coluna, nos joelhos, falta de ar e o pior o preconceito, não adianta dizer que és resolvida, que tem mente aberta, que estas coisas não te abalam, que é mentira! O peso do preconceito era maior do que o meu, quando eu estava com 127 kg em 2012, dei um basta, não suportei mais, com a saúde super fragilizada, separada do meu esposo ( nós passamos dois anos morando em casas separadas e tendo um relacionamento aberto), com a “alto estima” lá nos pés decidi dá um basta na obesidade, na minha ansiedade, eu tinha consciência que comia para fugir dos meus temores diários, adorava doces, biscoitos, bolos, salgados e refrigerantes, pois estes me davam um prazer inexplicável. Mas por trás deste prazer estava o meu peso, cheguei a obesidade mórbida grau III, estava pré-diabética, cansada, desmotivada e começando a ficar deprimida.

Busquei uma nutricionista, fui a minha endocrinologista e juntas procuramos uma dieta que me ajudasse a me reeducar, aprendi a mastigar, a comer de 3 em 3 horas, a dar mais valor a alimentos nutricionais, comer furtas de vez dos doces, controlar a minha ansiedade, apesar de ter optado junto com a minha endocrinologista a tomar Fluoxetina ( este medicamento ajuda a controlar a ansiedade, na TPM, e ajuda a controlar o apetite, mas só pode ser tomado com prescrição médica), voltei a caminhar.

IMG01110

Contudo em dois anos eu eliminei 23 kg, nenhum momento houve sacrifícios, de vez em quando me dava o prazer de comer umas gostosuras, kkkkk…

Mas não pude esperar, ainda esta obesa, com hipotiroidismo, pré-diabética e chegando aos 40 anos ( farei 38 anos em março), estava com medo da minha saúde ficar mais delicada, decidi, vou fazer uma cirurgia bariátrica!

No dia 25 de junho de 2013 foi o meu nascimento, sou uma nova mulher, quem me pôs ao mundo da metamorfose foi o Dr. Frank Arturo, um cirurgião espetacular, amigo e humano, que me ensinou que a bariátrica é uma decisão séria e que devemos levar a reeducação alimentar e exercícios físicos para o resto da vida, pois podemos perder peso rapidamente depois da cirurgia, mas que ao londo do tempo podemos também ganhar!

IMG00086

A minha luta somente começou, estou para fazer sete meses de caminhada em busca do peso ideal, quando entrei no centro cirúrgico eu estava com 118 kg, hoje estou com 87 kg, a minha meta pessoal é chegar a 70 kg…vamos que vamos, pois a luta continua!

Tatiana Sampaio